5.2.11

ser quem és



Às vezes, sem darmos conta, perdemo-nos daquilo que somos. Gostava de te dizer, que independentemente de quantas vezes te encontrares, não és apenas aquilo que vês. Não és só o rapaz de vinte anos que quer acabar o curso e fazer vida, não és apenas os planos que tens, os sonhos que anseias realizar, nem as vontades que te saem pelos poros. Não carregas em ti apenas o tempo dos teus dias, nem o passado que uma vez por outra, lá te pesa mais do que devia. Tu, também me carregas a mim, carregas em ti todos os meus sonhos, pois a maior parte deles passam por ti, todos os meus medos, os meus sorrisos e a minha grande felicidade. Não és apenas tu, mas sim aquele que no meio de tudo me levantou quando eu caí e mais ninguém quis saber. És quem me diz que eu consigo sempre que eu quero deixar de lutar e ficar-me por ali, és quem me ouve, me respeita, e acima de tudo, está sempre ali quando eu mais preciso de alguém. Não és só essa enorme força que tens para te moveres sozinho, és a força que nos faz querer mais. E sempre que te esqueceres de ti, de quem és, lembra-te que, no meio de milhões e milhões, és o único no mundo que conseguiu devolver amor, ao coração de pedra que tiveste de enfrentar. És o meu último pensamento ao adormecer, sempre o primeiro ao acordar, és a última fotografia que me passa pelos olhos a cada dia, o ultimo toque que as minhas mãos querem sentir, hora após hora, és o último número marcado em todas as minhas chamadas, a última mensagem recebida, e sempre a última enviada, és a minha caixa de mensagens, os meus rascunhos no caderno, e toda a minha vida que passa por ti...



Quando não souberes quem és, quero que saibas apenas, que és todo o meu mundo.


com amor, (sempre tua) nê.

45 comentários:

  1. Inês! Inês, Inês.
    Cada vez que aqui venho, nem sei explicar o que sinto, quase que entro no teu próprio conto de fadas. Sê muito feliz, por tod(a)s nós.

    ResponderEliminar
  2. Já vivi querida, embora breve, fugaz e apaixonante, foi o maior amor da minha vida até aqui, e atingi o auge da minha felicidade, que nem pensava ser possível. Mas depois desvaneceu, tão depressa como veio. Sabes os tufões, aparecem sem aviso, levam-te tudo e imediatamente se vão, o meu amor foi assim. Mas já construí a casa de novo, estou agora a decora-la aos poucos. Estas coisas das obras levam tempo, principalmente as do coração :)

    ResponderEliminar
  3. Valerá certamente, este amor também me trouxe muitas coisas. Não estou arrependida e não mudava nada. As coisas acontecem. Sei que alguém andará por ai, um dia choco com ele em qualquer lado :D. Beijinho *

    ResponderEliminar
  4. tens toda a razão.
    podes invadir as vezes que quiseres, querida.
    um beijo*

    ResponderEliminar
  5. Sabe bem ter alguém que nos entenda e que nos apoia quando mais ninguém o faz.
    mais um texto lindo que se pode dizer mais ... :)

    ResponderEliminar
  6. "Quando não souberes quem és, quero que saibas apenas, que és todo o meu mundo" wow 0:

    ResponderEliminar
  7. Muito obrigada :')
    Este texto fez-me quase chorrar :')

    ResponderEliminar
  8. minha Inês, é verdade. tudo o que disseste no teu comentário, sublinho. e sim, seguiste-me em 3 blogs. um deles foi apenas uma mudança de endereço, nada de nada. nesses 2 blogs que realmente tive - um deles foi o blog com que me conheceste e com que te conheci e o outro, foi o anterior a este - falei de amor. praticamente sempre de amor. nunca falei de um amor feliz. e aqui deixa-me falar-te do Filipe - do meu. foi o grande amor da minha vida e, de todas as vezes (praticamente) que escrevi sobre amor, foi por ele. mas sempre foi, à partida, um amor derrotado. porque quando me conheceste, o nosso namoro de 3 anos tinha terminado. foi quando te encontrei. foi quando foste um enorme refugio. as tuas palavras de sofrimento podiam ter sido escritas por mim. identificava-me com elas, da cabeça aos pés. hoje dizes-me que gostavas de me ver escrever, como já escrevi. esta é a minha explicação :) o Filipe foi ultrapassado e ao contrário de ti que encontraste um Filipe - que ironia - eu ainda não encontrei ninguém que chegue perto do que ele foi. é certo que depois dele, só houve mais uma pessoa mas, os nossos caminhos separaram-se. por isso agora, escrevo sobre quase tudo menos sobre amor. o amor não ocupa os meus dias. aliás, as pessoas quase não ocupam os meus dias. estou demasiado focada em ver o passar do tempo, em sair de onde estou. focada em tudo, menos no amor. existem outras coisas neste momento. não é que não sinta falta do amor - porque sinto. e cada vez que aqui venho sinto um bocadinho mais. na verdade 'i'm looking for love .. real love. ridiculous, inconvenient, consuming, can't-live-without-eachother love'. mas ainda não encontrei. um dia, vou voltar a escrever sobre amor. no entretanto da vida, em que por vezes ainda tenho que arrumar a casa que é o meu coração, vou escrevendo sobre o não amor. sobre uma vida sem ele :)

    ResponderEliminar
  9. nem tu, nem eu! irrita-me a maneira dela ser e as musicas dela :o
    ps: mas que lindo!

    ResponderEliminar
  10. Está lindo omg .
    Consegues comover as pessoas querida ;')
    Obrigáda :D

    ResponderEliminar
  11. está lindo querida, mesmo :)
    ohh, muito obrigada <3

    ResponderEliminar
  12. adorei o texto! mesmo. e adoro o teu tipo de letra :O * beijinho

    ResponderEliminar
  13. obrigada querida. eu posso dizer que adoro o teu título.
    e gostei imenso deste post. que amor de blog :)

    ResponderEliminar
  14. estou com 18 anos, querida Inês. sim, um dia ainda vou ver a chegada de alguém. venha ou não num cavalo branco :) a espera não custa, só que as tuas palavras deixam em qualquer um a vontade de viver um amor assim

    ResponderEliminar
  15. Lindo, lindo :) E ainda bem que concordas comigo, deve ser mesmo essa a razão de pensarmos assim.. eternas apaixonadas.
    um grande beijinho ines *

    ResponderEliminar
  16. estou a ler o livro 'bons sonhos meu amor'. tenho-o na cabeceira e por acaso tinha a contra-capa p cima. ontem vou-me a deitar e vejo 'só os corajosos se atrevem a amar'. fiquei com a ideia que já tinha lido algures. lembrei me logo do teu blog (:

    ResponderEliminar
  17. Realmente só os corajosos se atrevem a amar ,muito lindo,abraços.

    ResponderEliminar
  18. obrigada, nele tudo me chamou a atenção seja de uma forma ou de outra. Mas o que me cativou mesmo foram os defeitos e as imperfeições...
    este post está tão querido, adoro gossip girl!

    ResponderEliminar