22.1.13

Intemporal



Com o tempo aprendi que o amor não se conta aos dias, que se vê às gargalhadas, aos sorrisos rasgados, e às lágrimas que uma vez por outra, lá se lembram de mostrar que estão por ali. Com o tempo percebi que não é preciso ganhar a guerra para trazer uma vitória, e aprendi a falhar, e a tentar de novo e se falhar mais uma vez, a voltar a tentar. Com o tempo, fui aprendendo que às vezes é preciso mandar o orgulho para trás das costas, mesmo quando ele teima em querer ficar lá, engolir a seco, e ser capaz de dar o braço a torcer, porque amar e perdoar andam sempre de mãos dadas. Fui aprendendo que não temos que ser iguais, e que nem sempre os opostos se atraem, mas que quando se gosta mesmo, arranjamos sempre uma forma de saber ser um. E o tempo ensinou-me a lidar com as diferenças, com as opiniões contrárias, ensinou-me a fazer um sorriso ao teu mau-feitio e, mesmo quando merecias que eu me fosse embora, o tempo foi-me ensinando a ficar. O amor não se conta aos dias, o amor são os momentos, as memórias, e as histórias, que na verdade, vão ser sempre intemporais. São os abraços ao fim de vários dias, ou apenas, ao fim de vários minutos, são os beijos demorados depois das discussões, são as brincadeiras, que às vezes, e sem querer, dão para o torto, são os sonhos planeados a dois, na esperança de serem sempre só um. O amor são os dias bons, são os dias maus, e quando é realmente dos bons, não tem tempo, ele perde-se.

31 comentários:

  1. Acho que descreveste tudo, o amor e mesmo assim. Eu gostava de ser menos desapegada a ele.
    Mas o texto esta muito bonito :-)
    <3

    ResponderEliminar
  2. uau, parece que andamos perdidas com assuntos do tempo ahah :) e em sintonia! também gostei muito inês, tu nestas coisas do amor deves saber explicar bem melhor do que eu, e fico feliz por te ler novamente!

    ResponderEliminar
  3. o amor é a melhor coisa do mundo ihih, obrigada!

    ResponderEliminar
  4. Obrigada querida :) Vou para a Inglaterra, fazer um estágio!
    Força para o amor, que tantas aflições dá! (hihi) *

    ResponderEliminar
  5. queria saber falar de amor como tu, queria que ele me tocasse ao de leve e me fizesse sonhar um bocadinho. as tuas palavras é que sempre me acalentam, isso é certo.
    um beijinho grande, querida Inês.

    ResponderEliminar
  6. Tu falas de amor. E, quando te leio penso que o amor é a melhor essência do Mundo.

    ResponderEliminar
  7. Estás a tirar o quê? Desde o'Alquimista que acredito que «quando se quer muito uma coisa, todo o universo conspira para que se realize» o importante é não deixar de sonhar e querer, comigo resultou (quanto mais se quer, mais se luta).

    ResponderEliminar
  8. obrigada, Inês, por essas palavras. quero acreditar em ti <3

    ResponderEliminar
  9. Ah, que corajosa! Eu tirei Estudos Artísticos :D Força para o resto do curso!

    ResponderEliminar
  10. Que saudades que eu tinha de te ler, Inês! Sim, voltei. :D
    E a tua escrita continua como o título do teu texto "Intemporal". És boa, és muito boa na escrita. Atrevo-me a dizer, das melhores. :)

    ResponderEliminar
  11. que bonito, de facto o Amor tem de ser intemporal. E ele é.. nem que seja apenas em nós

    ResponderEliminar
  12. R: Oh, agradeço-te imenso! Adorei isto que escreveste.

    ResponderEliminar
  13. Muito obrigada!
    Adorei ler cada palavra que colocaste neste teu texto... conta com mais uma seguidora :)

    ResponderEliminar
  14. oh a sério que te lembraste de mim? :P
    já apaguei à imenso tempo mesmo, andei bué tempo fora. But i´m back ahahah

    Beijinhos**

    ResponderEliminar
  15. não sei qual dos blogues querias que comentasse mas acabei por optar pelo primeiro, muito obrigada, também gosto do teu blogue (:
    será que podes ir ao separador "és o melhor de mim" e dar a tua opinião clicando em "gosto muito" ou qualquer uma das outras opções? (:

    ResponderEliminar
  16. ahahah para quem não tem dinheiro é uma ideia gira xD

    ResponderEliminar