28.3.09

É tudo à base de matemática.

E não fui eu que te pintei!
Desta vez, escreveste-te sozinho. E não me digas que os outros te desenham como querem, na verdade desenham-te todos na perfeição, só muda a tela, e de tantos artistas, acho que só tu é que podes ter errado. Não me digas que eu é que me deixo levar, que te traçam como não és, porque desta vez, não me vieram falar, falei-me eu!
Mas a culpa é minha, pintei-te na perfeição que não eras, vivi na beleza que não tinhas, escrevi-te nas palavras que não leste, sonhei-te em cada beijo que trocámos, protegi-te em cada abraço que demos e no final, não és nada. Não és diferente, nunca foste.
Ris-te de quem não és, vives de quem sonhas, interpretas um papel que não te cabe, e no final tiras sempre a máscara! Que péssimo actor, não se revelam os maiores mistérios, acabas por perder a plateia.
Querido amigo, às vezes é preciso saber desistir antes de entrar, cá estou eu, não volto mais. Porque quando me olhaste nos olhos e eu fui embora, soubeste que eu ia de vez. Não faças confusões, eu não te odeio, isso seria um suicidio de quase amor, simplesmente não gosto de ti, e isso incomoda-te muito mais!

Ah, e eu sei que não fui mais uma, fui apenas outra.
É tudo à base de matemática, são só calculos para as estatisticas.

7 comentários:

  1. E eu adoro matemática, aaaaaaaaaaaah :D
    Grande (L)

    ResponderEliminar
  2. eu não sou grande apreciadora de matemática não -.-' mas tá bonito é verdade :D

    ResponderEliminar
  3. "Ris-te de quem não és, vives de quem sonhas, interpretas um papel que não te cabe, e no final tiras sempre a máscara!"

    Meu deus , que tetxo lindo. AMEI.

    ResponderEliminar
  4. "Mas a culpa é minha, pintei-te na perfeição que não eras, vivi na beleza que não tinhas, escrevi-te nas palavras que não leste, sonhei-te em cada beijo que trocámos, protegi-te em cada abraço que demos e no final, não és nada." - inês, gostei TANTO.

    tens uma força nas palavras que eu invejo muito.

    gosto muito de ti (L)

    ResponderEliminar