27.1.09

que o vento te leve, sonho.

Acordo a meio da noite, sobressaltada, vinda de um sonho inacabado. Não vamos por aí, eu não quero ir por aí. Já sei o final da história e não quero estar aqui para vê-lo. Já conheço as frases ditas e os gestos conjugados, e eu não quero viver por aí, nem disso. Quero matar-te, cortar o mal pela raiz, deixa-me matar-te, sonho. Quero invadir-te irracionalmente, matar-te a pouca vida que te dei, quero matar-te de beijos, abraços que não quero dar e palavras fatais que não te quero dizer, permite-me a gentileza, por favor. Não quero contar mais histórias a meio, deixa-me que as palavras nada tenham para falar. Fecho os olhos à noite que me ultrapassa, saio para a rua à procura de um sonho, não te fujas de mim, só te quero acabar. Dou por mim a olhar-te da janela embaciada onde escrevi o meu contacto - se te virem que te tragam até mim. Dispo o olhar de despero, quero sonhar-te outra vez, onde te meteste sonho?
Se eu fosse um assassino profissional, teria posto termo à tua vida na primeira vez que te sonhei, mas deslumbrei-me e deixei-te escapar, deixei-te mostrar-me que se quiseres viras o meu mundo de pernas para o ar, mas eu não quero viver ao contrário. E volto a dizer, se eu fosse um assassino profissional ter-te-ia morto na primeira noite em que vieste ao meu encontro, teria fechado os olhos a todas as horas que te pensei e conseguiria dormir tudo o que te sonhei. E mesmo que eu fosse um assassino profissional, certamente não escreveria sobre ti, maldito sonho que me persegues e eu não te encontro! Passaria a noite a claro, com apenas a luz da mesinha acesa a pensar a melhor maneira de te desacreditar. Mas se eu fosse um assassino profissional seria tipo Freddy Krueger, e acabava contigo durante o sono, não teria a mais minima preocupação. Mas eu não sou um assassino profissional, não passo de mais uma romancista do pior, que vê corações em tudo quanto é canto, e para te matar, seu sonho que me atormentas a noite, teria de ser com um cravo na espingarda, qualquer coisa de muito vemelho e muito doce à mistura, quem sabe com umas frases de poemas alheios e com um leve toque de adeus. (como podia eu tocar-te, sonho?)

E não sou, e tu sabes de mais sobre mim, talvez seja melhor contratar um assassino profissional, ou preferes que te mate?




mas, mas, mas... eu sou uma romancista do pior!
que o vento te leve enquanto o dia passa, ou que a noite não chegue enquanto não partires,
que nada te magoe enquanto retiram a pouca história que foste escrevendo mas que nnguém se lembrará,
que o mar te colha nas suas ondas e que vás desaguar numa outra noite do outro lado do continente, ou eu...
ou eu, não vou saber matar-te!

22 comentários:

  1. Tanto este texto como o anterior me deixaram sem palavras.
    Um simples "gostei" é banal de mais mas no fundo é o que me saí. Beijinho *

    ResponderEliminar
  2. dizer-te que gostei do texto? oh, já o leste tantas vezes. é mesmo banal isto.
    eu ADOREI, AMEI, sei la o que senti ao ler isto. sei que o que li mexeu comigo. pa, gostei e pronto, nem tenho palavras! vindo de ti, tudoo que leio é fantástico :)

    gosto muito de ti, inês (L)

    ResponderEliminar
  3. Mata quem quiseres, não mates o que te faz falta. Beijinho *

    ResponderEliminar
  4. Tu escreves tao bem, e tenho dito *.*
    odeio quando digo "eu não quero ir por aí. Já sei o final da história " ou quando aviso porque ja sei e ninguem me da de ouvidos .
    Se esse sonho não te pertence nem te faz bem, manda-o embora. Mata-o

    Adoro'te Compz (L)

    ResponderEliminar
  5. "(...) quero matar-te de beijos, abraços que não quero dar e palavras fatais que não te quero dizer"

    Percebo-te tão bem :$

    ResponderEliminar
  6. são vontades que temos e que sabemos que ou são impossíveis ou às quais é melhor manter distância.

    um beijinho *

    ResponderEliminar
  7. 'Mas eu não sou um assassino profissional, não passo de mais uma romancista do pior, que vê corações em tudo quanto é canto, e para te matar, seu sonho que me atormentas a noite, teria de ser com um cravo na espingarda, qualquer coisa de muito vemelho e muito doce à mistura, quem sabe com umas frases de poemas alheios e com um leve toque de adeus. (como podia eu tocar-te, sonho?)
    '

    Que lindo inês, o texto está mesmo fabuloso. Não mates os sonhos, os sonhos são grande parte da nossa vida. (L)

    ResponderEliminar
  8. Não consigo encontrar as palavras certas para comentar o texto. Não consigo, sequer, tecer uma ordem logica de ideias e passa-las apra aqui para formar o comentario. Fica apenas que Adorei (e muito)as tuas palavras e que no seu conjunto está tudo tão,mas tão, perfeito...=)

    Beijinho Inês**

    ResponderEliminar
  9. 'Se eu fosse um assassino profissional, teria posto termo à tua vida na primeira vez que te sonhei, mas deslumbrei-me e deixei-te escapar, deixei-te mostrar-me que se quiseres viras o meu mundo de pernas para o ar, mas eu não quero viver ao contrário. E volto a dizer, se eu fosse um assassino profissional ter-te-ia morto na primeira noite em que vieste ao meu encontro, teria fechado os olhos a todas as horas que te pensei e conseguiria dormir tudo o que te sonhei.'

    lindo lindo (L)

    ResponderEliminar
  10. Posso-te fazer uma pergunta? Tu criaste o blog para falar de q?
    Eu só ainda não sigo porque tu essencialmente bates sempre na mesma tecla. É afastar alguém. :\

    Quanto ao comment que fizeste no meu, sim tens razão, mas repara... Eu estou a falar de exemplos que ocorreram comigo. E não fazia diferença o 18 e o 20 :P
    Mas sim sem dúvida que tens razão naquilo que dizes.

    Vá, beijinho*

    ResponderEliminar
  11. Respondeste sim. :) Embora eu acho que haja sempre um sujeito nestes textos. Chama-me obtuso. lol

    ResponderEliminar
  12. Algo? Hmmm. Estou a gostar da conversa :P
    Tu tens um sonho. Mas já não acreditas que o consigas concretizar.

    ResponderEliminar
  13. para alem de escreveres bem e tudo mais. . .
    há algo na tua escrita que cativa...
    se começo a ler a primeira frase tenho de ler a segunda e por aí adiante e de certo modo consegues sempre com que eu pense numa coisa e no fim o texto não tem essa conclusão :D
    (certamente escreves mt melhor do que mts que escrevem para filmes em hollywood :D)

    gostei! ;)

    Bjinho*

    (não há nada que pedir desculpas por invasões se depois tenho acesso a ler isto ;) :D)

    ResponderEliminar
  14. olha quem fala!
    e o teu fotolog também esta bem bonito *

    ResponderEliminar
  15. A terra adormece no nevoeiro
    Tenho a pressa do vento
    Um coração errante procura
    A doçura de terno momento

    Frágil e palpitante luz
    A beleza voa com a manhã
    O mar solta na terra ternos murmúrios
    Perde-se na espuma toda a palavra vã




    Bom fim de semana


    Mágico beijo

    ResponderEliminar